Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos Eroticos » Incesto » Eu Adoro Bolas Flácidas

Eu Adoro Bolas Flácidas

Publicado em janeiro 31, 2020 por HolyGurl

Sabor mesmo, paladar de bolas peludos! Quanto mas grave pendurarem, melhor!

Deixa-me explicar. Em primeiro lugar, sou uma senhora, uma senhora de 43 anos, para ser perfeito.

Olhando para trás na minha vida, Sei que a minha tia Muito bonita o Titio Tom tiveram tudo a ver com a minha preferência por bolas baixas.

Eu Adoro Bolas Flácidas

Devo comportar que as 2 semanas que passei com eles num verão foram memoráveis.

Aos 18 anos, na segunda noite na moradia deles. Por girata das pequenas horas da manhã, acordei. Alguém me tinha tirado os cobertores subido para a minha leito. Era a minha tia. Ela nunca diz uma termo, mas do que um riso asfixiado era para ser ouvido dela.

A claridade de uma lua enxurro através da janela acendeu a sala o suficiente para expressar que era ela ela segurou o dedo aos lábios fez um fragor.

Ela estava completamente nua.

Ela sussurrou puxava o manta por cima de nós se aconchegava.

“Não conseguia interromper de filosofar em ti.”ela diz esfregava o dedo carinhosamente na minha faceta.

Segundos depois, ela escorregou estava a oscular-me as cuecas.

Eu era o freekin estalado. Sem descobrir o que fazer, só fiquei lá a filosofar no que se passava deixei-a fazer o que queria.

Ela desfez-me as pernas puxou-me as cuecas para um lado. Depois os dedos dela separaram-me os lábios. Só ouvi outra hilaridade debaixo do manta. Depois, a língua dela no meu Clítoris deu-me arrepios orgásmicos na pilastra.

Meia hora depois, deixou-me lá reclinado, tendo testado os orgasmos mas intensos tremedores da minha vida.

Ao pequeno-almoço na manhã seguinte, com ela o Titio Tom.

Ela só sorriu um sorriso singular. foi dito sobre isso. Nunca se sentiu tabu ou incorrecto em nenhum sentido. Foi um presente para mim alguma coisa que ela gostava de conceder.

Ok, de viravolta à coisa dos bolas peludos.

Todas e cada uma das noites, nas duas noites seguintes, ela acordou-me, atirou-se a mim fez-me transportar-se como um trovão numa inoportunamente quente, calma nublada.

Na terceira noite, ela me perguntou se eu adoraria de me reunir a ela ao solteirão em sua leito.

Ela diz que este estava com ciúmes.

percebi que ela lhe tinha dito o que estávamos a fazer, fiquei outra vez assustada.

Ela implorou-me diz que não era justo para este que ela estava a gostar de mim sem este.

Diz-lhe que queria meditar algo.

Ela fez paixão comigo com beijos gentis os dedos dela tocavam círculos lentos sobre o meu Clítoris de antemão de escorregar entre os meus lábios. Ela escorregou entre as minhas pernas. Senti primeiro um, depois 2 dedos gentilmente a tacteado-me. Senti o seu hálito quente ela partia os meus lábios com a língua chupava gentilmente o meu Clítoris latejante entre os lábios. Os dedos dela a deslizarem para dentro para fora no mesmo ritmo lento com que ela esfregou a língua no meu Clítoris.

Todas e cada uma das noites, ela deixava-me com orgasmos mas intensos do que na noite anterior.

Na noite seguinte, após ter considerado o jantar. Nós os três estávamos a rir a reputar a companhia um do outro na mesa da sala de jantar. Sem expor , ela empurrou a cadeira para trás subiu para Debaixo da mesa.

Estava a filosofar no que ela estava a fazer senti a mão dela a amparar a minha. olhando para grave, vi face dela com um sorriso de ouvido a ouvido. Ela estava a retirar-me a mão, por consequência, subi Debaixo da mesa com ela.

Vi-a tirar os sapatos do solteirão desabotoar-lhe as calças. Este levantou-se deixou-a puxá-los para insignificante juntamente com as cuecas dele.

Logo, lá estava eu, Debaixo da mesa com a tia, a olhar para as bolas baixas do solteirão penduradas adiantado da cadeira a pila dele crescia para um tamanho venerando mesmo à minha na frente de.

Podia redigir uma história sobre as um par de semanas que passei com eles naquele verão, porém prosseguirei tentar cingir-me à coisa dos bolas.

No final, um e outro gostavam dos seus bolas Pendurados bastante grave, de fato, penduravam-lhes pesos para fazê-los de forma.

Este era alguma coisa masoquista, a tia gostava de ser defende com o reles faziam sexo.

Tudo veio à claridade mas inoportunamente naquela noite. Nós os três estávamos nus na leito do tamanho do rei. Eu já tinha pretérito as fases iniciais de desconforto timidez. Estava seguinte os pedidos deles a gostar de brincarem comigo.

Após bastante folgar um com o outro, rindo gozando, eu me achei prostrado sobre a leito deles com a minha moleira no limite. A tia estava em cima de mim a fazer paixão comigo numa posição 69. Estava a fazer o meu melhor para retribuir o obséquio apreciá-lo imensamente.

O Solteirão Tom saiu da leito ficou detrás da tia. Ela gemeu um mmmm aprazível este colocou a moleira da Pila entre os lábios húmidos dela. Observei-o a centímetros de intervalo, este se dissapedava na ratazana dela, uma polegada suave de qualquer vez. Os sons agradecidos que ela fazia eram como música.

Estava só a observá-los a reputar os prazeres que ela dava à minha rato.

Um orgasmo carga estava próximo a à minha porta Via as bolas do Solteirão a nutar como um pêndulo , eventualmente, a esfregar-me na rosto.

A sua músculos rosada a rolar para dentro para fora parecia estar a chupar o pau rígido.

A mão da tia apareceu entre a minha face a ratazana. Os dedos dela a revirar até descobrir o ordinário dele.

Ela começou a puxá-lo a esticá-lo ao tema de me parecer doloroso. Porém o titio reclamou a sua aprovação alargava a sua posição, dando-lhe chegada de forma livre às suas jóias.

Com os bolas na mão, ela começou a esfregá-los a esmagá-los entre os lábios. Vi os dedos dela a empurrá-los freneticamente um de qualquer vez para a rato dela, por inferior da Pila inclinada que agora ficou imóvel. Vi o testículo esquerdo desvanecer com os dedos a trabalhar qualquer vez mas. Depois seguiu-se o recta. Após ver os dedos a incluir as bolas em si até o momento que passaram a ingressão mas apertada, ela começou a esfregar o clítoris.

O Tom baixou a mão, pressionou a secção de trás dos nós dos dedos com força ela, mesmo por insignificante da Pila, para evitar que lhe tirassem os bolas. Começou a foder outra vez, porém com tacadas mas curtas mas lentas. Qualquer golpe puxado esticado o baixo.

Anos mas tardiamente, sei agora que estava a fazer com que os bolas inchados dele rolassem massageassem-lhe a Gspot. A pressão exterior a retrair de dentro é pesada! se você já enrolou seus dedos em derredor de um pênis do baixo, você sabe que a periferia é bastante maior. Tudo cria uma integridade que coloca pressão em todos e cada um dos pontos certos. É puro encanto!

Pouco tempo depois, este e aquele começaram a tremer. Efetivamente, tremiam da testa aos pés. Tom moveu sua mão para a leito para se agarrar seus joelhos começavam a ceder.

Eu vi a rato da tia estrear a medrar este lentamente começava a desabar de joelhos. Choramingou se mudou para acompanhar o puxão na cona até não ser capaz ir além. Os seus orgasmos intensos fizeram com que todos e cada um dos musculos da cona dela se apertassem, apertassem o segurassem com força por dentro.

Solteirão gemeu, ” Gaaaaafuuuuuuuck!”à proporção que os seus joelhos tremiam lentamente cediam, deixando-o desabar ainda mas, até o momento que por último os seus bolas a sua Pila foram puxados da Cona que apertava.

Vi os impulsos finais forçarem as últimas gotas de sêmen a pingar na minha rosto.

A tia tremeu incontrolavelmente em cima de mim. Líquido límpido esguichado dela, a trespassar do peito do Tom.

A cona dela a pulsar se fechava lentamente, a músculos nácar a retrair-se para dentro. Parecia que estava a respirar. Ela desmaiou em cima de mim a suspirar por espaço, ainda a tremer.

Titio Tom, de joelhos colocou a carola na borda da leito ao lado da minha. Fiquei abismado ouvi a respiração rápida deles retornar lentamente ao normal.

Eu queria fazer o que eles tinham concluído de fazer.

Agora sei por experiência própria que deve deleitar ao Gspot como duas bolas a massajá-lo juntamente com uma pila extensa durabilidade. continua a progredir conforme os musculos da vulva começam a contrair-se de Orgasmos, apertando-os enrolando-os à girata da glândula inchada. Juntamente com alguma coisa de prazer para um Clítoris, o seu puro encanto!

Agora sei o que estás a filosofar, por consequência, a resposta é não! A tia tentou incluir as bolas do Tom na minha rato uma noite, porém eu estava bastante apertado na profundidade não resultou. Embora tenha gostado que este me fodesse a tia lambia o meu clítoris dava o seu melhor para os pregar lá dentro. Este por último solicitou-lhe para interromper.

Com o passar dos anos, namorei com uns tipos diferentes, o mundo inteiro com bolas apertados. Número reduzido de quase inexistentes, mas do que na apoio da Pila.

O meu primeiro consórcio aos 20 anos só durou quatro anos, porém tenho duas filhas lindas varias boas recordações. O Mark era um varão guloseima. Este trabalhava bastante, era inteligente um amante decente. Eu digo que este era um amante decente agora porque eu tenho pequeno número de testes para compará-lo neste instante da minha vida. Resumindo, não resultou.

Voltei a matrimoniar aos 38 anos com um gênero de simpático do trabalho, Ron. Este era bastante belo! Namorámos umas semanas de antemão de este me invitar para trespassar. Concordei com um encontro. O projecto era ir à praia jantar.

Era meados de agosto o calor estava quente.

Este apanhou-me num descapotável GTO de 1965 impoluto. Eu sabia que este era bom que passava bastante tempo no ginásio. Com 1,90 m 230 kg. Era um gênero de extensa bastante lindo. Porém vê-lo só de calções sem camisa fez-me passar o coração. Este era uma brasa!

Percorremos uma boa milha pela praia, entrando na agua para resfriar uma outra vez, que o sol a bafejo suave nos secaram. Depois andámos mas alguma coisa a considerar a areia entre os dedos dos pés.

Acabámos por ir a um pequeno restaurante perto da praia. Tinha um convés exterior com tecto de palmeira mesas pequenas. Éramos os únicos compradores. A jovem empregada levou o nosso de margaritas, batatas fritas salsa para estrear.

O Ron mudou a cadeira dele para perto da minha. Sentámo-nos perto, de na frente de para a praia. Depois a nossa segunda licor uma ordem de tacos estávamos a sentir-nos relaxados contentes.

Para ser honesto, tinha todas e cada uma das intenções de O foder de antemão da noite terminar. Bastante contacto visual diga deleitável levaram-no a inclinar-se para perto. Este cautelosamente ofereceu um ósculo. Aproveitei a possibilidade devo manifestar que acabou sendo o ósculo mas quente que me lembro de ter em público.

“Estás a excitar-me!”Este diz deixou tombar a mão na minha perna.

Barranca-me respondi: “Sim, eu também!”

“Espero que não estejas a gozar comigo!”Este acrescentou

Este sorriu beijou-me mas algo. Tenho a que as margaritas rígidas tiveram alguma coisa a ver com o facto de sermos anormalmente abertos um com o outro.

“Não sou!”Sussurrei deslizava a mão a colocava na secção superior da coxa.

O ósculo continuou. Deslizei a mão para cima dentro da perna dos calções. Percebi instantaneamente que este não estava a utilizar roupa de baixo. Os bolas dele foram a primeira coisa com que a minha mão entrou em contacto porque este tinha uma levantamento completa que estava literalmente a empuxar a cintura dos calções.

O meu coração começou a eu enrolava os dedos à viravolta do reles dele. Os bolas dele eram enormes! o saco que os segurava estava solto, estava em cima das pernas fechadas.

Não estou a folgar digo que eram piores que as limas frescas de onde as nossas bebidas foram feitas.

O ósculo estava a permanecer bastante quente as nossas línguas pareciam estar a combater. Nunca tinha sentido bolas tão grandes como as dele. Puxei gentilmente puxei-lhe o baixo. Quebrando o ósculo, inclinei-me algo para trás. Olhando para os olhos dele, continuei a puxá-lo. O Ron abriu as pernas alguma coisa mas ofereceu-me entrada totalidade.

Este perguntou, ” Você OK com isso?”

“O quê?”Eu questionei

“Os meus bolas continuamente foram de forma.”Este falou quase tal e como se pedisse desculpa.

Apertei puxei com mas força, “estou completamente enamorado por eles!”Sussurrei,

Este sorriu exalou um suspiro de refrigério. Este sorriu ” eu estou feliz que você gosta deles!”este diz se inclinou para mas beijos.

Se este soubesse os pensamentos que me passavam pela carola.

A temperatura estava tão quente que deixou o saco solto. O meu coração a ao detalhe de o sentir nos ouvidos. Puxei-lhe o ordinário, esticando-o até a pele estar apertada à girata dos testículos. Os beijos pararam, este fechou os olhos a queixada caiu. Eu sabia que este gostava do que eu estava a fazer.

A memória da Rato inchada da tia o titio se ajoelhava lentamente passou-me pela moleira. Fechei o meu munheca à viravolta da mesocarpo entre a pila os bolas do Ron. Puxei com mas força.

“Pára com isso!”Este sussurrou,” não aguento bastante disso, está a mandar-me para o pináculo!”

Eu larguei. Porém de antemão de tirar a mão dos calções dele, passei os dedos pelo tamanho da Pila dele só para ver o que este tinha. Foi bastante venerável bastante difícil. Senti-me escorregadio na carola inchada.

Eu sabia que este era o varão dos meus sonhos queria passar o resto da minha vida a usufruir de tudo sobre este. Tudo!

Sentámo-nos tranquilamente a olhar para o outro lado do Oceano durante os próximos 10 minutos.

Olhando para este, perguntei: “estás muito?”

“Honestamente?”Este perguntou.

“Ya!”Eu respondi, pedindo uma resposta.

“Muito,” este fez uma pausa, pensando, ” duas coisas, primeiro de tudo estou completamente enamorado por ti! segundo, espero que possamos regressar para minha vivenda terminar o que iniciamos cá.”

“Já consegues caminhar?”Perguntei a rir.

Este pagou à empregada começámos a marchar de mãos dadas pela praia. Para ser honesto, não falámos bastante o tempo todo. Parecia que o planeta tudo nele estava correto.

De girata ao coche dele ainda estávamos muito. O sentimento de aprazimento era esmagador.

Este perguntou: “para onde?”

“a tua vivenda?”Eu respondi com um olhar questionador um sorriso manhoso.

Foi jocoso. Não era preciso expressar mas .

Acabou por ter uma moradia bela, a poucos quilómetros da minha. Era perto da praia a vista do oceano era muito bonita. Todas e cada uma das janelas da vivenda dele estavam abertas a aragem que saía da agua era fria.

Este ofereceu o chuveiro sugeriu que eu lavasse a agua salgada seca. Agradeci-lhe este me mostrou a WC.

“Junta- a mim?”Eu perguntei

Este sorriu, inclinou-se beijou-me a testa. Sem manifestar , este desamarrou a secção de cima das minhas duas peças libertou os meus seios. Gostei bastante do seu sorriso, este demorava a olhar para os meus seios grandes. A forma gentil como este os curou aos 2, levantando-os. Dobrou-se chupou um mamilo entre os lábios.

Nunca chegámos ao chuveiro. Este apanhou-me, levou-me para o quarto dele deixou-me no meio da leito dele. Agarrou-me nos pés arrastou-me até o rabo estar no limite.

Os olhos dele estavam cheios de paixão ardente este me tirava os calções os atirava por cima do ombro. Deitei-me com os pés no pavimento o via a diminuir os calções a trespassar deles. Só vi a masculinidade dele de antemão de se ajoelhar no pavimento entre os meus joelhos.

Eu sabia que este não ia bastante pelo estado mental quando estávamos. Porém também sabia que a segunda vez podia ser rememorável.

Agarrou-me os tornozelos levantou-me as pernas, dobrando-as nos joelhos nos quadris. Este colocou as minhas pernas sobre os ombros largos.

Vi-o a olhar para a minha ratazana, que tinha Rapado mas cedo, na esperança de terminar precisamente onde estava naquele preciso instante.

O Ron inclinou-se para a na frente de. As minhas costado imediata arqueadas, ouvi a minha respiração a decorrer para em mim, enchendo os meus pulmões, dado que não havia beijos não havia mas preliminares. A língua dele deslizou pelo meu ânus salso mergulhou directamente no meu buraco molhado.

Este era obcecado, quase implacável, a língua dele enchia lambia a minha ratazana, mergulhando saindo de mim. Eventualmente, este empurrava as minhas quadris para cima fazia o mesmo ao meu ânus. Este começou a estreitar a língua, a lamber-me o cu a subir, forçando os meus lábios a espalharem-se a aproximarem-se esfregava o meu Clítoris rígido.

Era geminar a mente. Eu queria que este me fodesse, eu queria sentir a pila dele a -me em mim este esvaziava a semente o mas fundura de mim que este conseguia puxar a pila defende, eu queria sentir as suas bolas peludas no meu rabo..

Este era bastante possante! Maneira como este se movia segurava o meu corpo precisamente onde como este queria era alguma coisa que eu nunca tinha testado. Método como este me agarrou as bochechas do rabo com as mãos me moveu em vez de revirar a moleira este continuava a sua agressão vocal.

O primeiro orgasmo explodiu no meu corpo. Ouvi-me a lamuriar as minhas pernas tremiam.

O Ron levantou-se. Sustive a respiração este enfiava metade da pila na minha cona, puxando para fora só para fincar o resto no segundo empurrão. Estava tão molhada que ela escorregou até ao cabo.

Este agarrou-me os ombros. Este segurou-me na pila dele começou a ingerir-me com muita força rapidez. Estava a ser fodida fodida com força. Estava a transportar-se-me um orgasmo detrás do outro, a minha cona a estreitar-lhe a bela Pila.

Grunhiu assobiou me atirava a sua semente quente. Foi inacreditável! Foi pura luxúria!

Por último desmaiou em cima de mim. Porém ao invés de da maior número dos outros homens, este aguentou-se de mim. 2 corpos suados nus a tocarem-se durante somente número reduzido de segundos de antemão de este rebolar deitar-se ao meu lado a abraçar-me com força.

O calor era miserável. Este e aquele estávamos literalmente a pingar de suor.

Perguntei se podia utilizar o Duche dele para me acalmar. Era uma banheira chuveiro, então não havia espaço suficiente para duas pessoas tomarem banho confortavelmente. Após um e outro termos tomado banho resfriado, sentámo-nos no convés pequeno a tomar uma cerveja gelada a aproveitar o instante.

Queria mas paixão, porém sabia que este precisava de tempo de restauração. Para ser honesto, o que eu verdadeiramente queria era fazer-lhe um broche divertir com as bolas dele. Não conseguia sustentar a memória da tia os sons choramingantes que ela fazia de tocar na minha mente vezes sem conta.

O Ron perguntou: “Posso? o que é preciso para sustentar na minha vida?”

Era uma pergunta para a que não estava preparada. Pensando nessa situação, eu diz a este, “muito, para ser honesto, eu não tenho uma relação há numerosos anos.”

“Eu acho que a coisa essencial neste instante da minha vida seria a brecha honestidade, ser capaz de ser eu mesmo sem ser prudente ou julgado.”Deixei-o deste modo.

” tu?”Eu perguntei

Este sorriu, ” hummm, muito, não soando exigente ou coisa, porém sexo intimidade estão no extremidade da minha lista, honestidade .”Este sentou-se a ponderar os seus pensamentos.

“Vamos divertir-nos um ao outro levar as coisas com calma.”Eu diz a tentar mudar de ponto.

“Magoei-? Fui bastante forte?”este questionou.

“Não!”foi tudo o que eu diz.

Os lábios dele espalham-se num sorriso.

“Foi o primeiro paixão que tive em bastante tempo, obrigado! Foi bastante deleitável!”este diz.

“Eu também! foi bom! Queres mas?”Gozei me levantei me sentei no pescoço dele. Eu estava de dorso para este. Este abraçou – me pôs o queixo no meu ombro. Sentámo-nos a olhar para o outro lado do oceano. Fiquei venturoso este pôs as mãos debaixo da minha t-shirt delicadamente curou os meus seios.

“Queres retornar lá para dentro exercitar mas algo?”Este sussurrou.

“Não! Quero treinar mas alguma coisa cá.”Gozei.

Este só respondeu com ” hummm.”

Tirei – lhe as mãos de Debaixo da camisa deslizei do pescoço dele. Virando-me para este, agachei-me entre as pernas dele. Deslizei as duas mãos para cima para em qualquer perna dos calções comecei a sentir-me à viravolta. Mas uma vez, este não estava a utilizar lingerie. Queria fazer-lhe um broche.

eu enrolava os meus dedos à girata do baixo dele, este começou a dobrar-se na sua cadeira.

“Vamos para dentro!”Este diz

“Não! Quero divertir cá!”Eu retortei

Achei humor no desconforto dele. Método como olhava para as moradias dos vizinhos. Brincava até lhe reprimir as bolas em as duas mãos, enrolando-as entre os dedos os polegares. Estava a permanecer alguma coisa teso, porém este nunca me demandou para descontinuar. Após poucos minutos a deixá-lo em corpo emocionalmente miserável, este ainda só me deixava fazer o que eu queria. Levantei-me ofereci a minha mão.

Levei-o de girata para vivenda para o quarto. Este ficou a sorrir eu lhe baixava os calções. Caímos noutra sessão apaixonada de beijos. Durante todo este tempo, acariciei-lhe a pila com uma mão puxei-lhe o saco com a outra.

3 views

Contos relacionados

Conto de Incesto com Mãe, Pai e Filha – Parte I

Mãe, Pai e Filha - Parte I - Conto de Incesto Familiar Me chamo Ana, atualmente tenho 37 anos, sou casada o que prosseguirei racontar se passou há nem mais nem menos 22 anos faz secção da minha...

LER CONTO

VER A PICA DO MEU FILHO, FOI A GOTA D?ÁGUA

Relato De Incesto Mãe E Filho Ver a pica do meu filho, foi a gota d?água Conto de Mayara Nascimento Meu nome é Isamara, mas todos me chamam e ?Isa? casei...

LER CONTO

Conto de Incesto com Mãe, Pai e Filha – Parte III

Conto de Incesto com Mãe, Pai e Filha - Parte III   Para quem vem acompanhando meus relatos, prosseguirei continuar descrevendo como eu: Ana, descobri na puerícia meu palato pelo...

LER CONTO

Uma Rapidinha Com Irmã Novinha Gostosa

Está Na Hora De Uma Rapidinha? A porta da na frente de fechou-se com um clique o Joe esperou que o pulso acelerasse, com intenção de a mãe ligasse o motor do Astra. Este lambeu os lábios olhou...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 3 + 2 = ?
© 2020 - Contos Eroticos