Bem Vindo, visitante! [ Entrar | Cadastro ]
Contos Eroticos » Sexo Anal » Uma mulher forte precisa de anal também

Uma mulher forte precisa de anal também

Publicado em janeiro 17, 2020 por HolyGurl

O meu nome é Amy Taulard. Uma miúda sensual cheinha que adora brincar. Com 1,70 m de fundura, de peito extensa, encorpado, muito elevado a pavonear-se à viravolta do classe de rabo fino rechonchudo que pequeno número de consideram ser vasqueiro numa miúda branca. Sou uma anomalia sexual faço coisa para ter qualquer. Esta é a história de várias das minhas aventuras mas quentes raunchiest. Entro em todo o classe de situações. Quanto mas sensual raunchy, melhor. O sexo é uma das melhores coisas da vida divirto-me continuamente que posso. Sou uma senhora extensa que adora sexo. não peço desculpa por consequência.

Uma mulher forte precisa de anal também

Uma vez, andava pelo campus da Universidade de Bay State vi um preto elevado lindo de uniforme da policial. Este parecia tão muito. Tive de ir lá apresentar-me. Eu estava a utilizar uma camisola vermelha um vestido preto tão pequeno que se podia ver as minhas cuecas à intervalo. Não me importo de mostrar às pessoas o que tenho. As outras mulheres estão constantemente a detestar, porém o que é que as cabras sabem? . De forma, fui ter com o milícia preto comecei a conversar com este. Este diz-me que se chamava Xavier, um agente da milícia de Boston.

O Xavier era um preto bastante sensual. Este ficava bastante muito de uniforme. Sou continuamente directa com homens que me interessam sexualmente, desse modo perguntei-lhe se este regressaria para o meu camarinha me faria sexo. Este sorriu diz-me que estava na hora de almoço. Voltámos para minha vivenda. Para lá estivemos, despi-me. Adoro mostrar o meu corpo grosso sensual. Vários homens gostam de mulheres grossas, Xavier parecia ser um deles, logo eu estava com sorte. Toquei com os meus seios grandes, mergulhei um dedo na minha rato lambi-o de antemão de me contornar sacudir o meu rabo gordo na faceta dele. Xavier sorriu, gostando claramente do que viu. Sorri, comecei a minha conduta.

Ajoelhei-me ante o agente Xavier abri as calças. Tirei-lhe a pila arfei com o que tinha na mão. Uma pila longa grossa, preta não circuncidada. Quando menos 8 polegadas de comprimento bastante grosso, com bolas do tamanho de maçãs. Sorri comecei a chupá-lo. O Xavier agarrou-me a nuca esmolou-me para o chupar mas depressa. Chupei-lhe a pila enorme atirei a língua por cima das suas enormes bolas pretas. Este era mesmo um espécime interessante de varão. Tão elevado sensual, tão masculino. Este também era tão muito dotado. Chupei-lhe debaixo do poço lambi-lhe os tomates tal e como se fossem a coisa mas guloseima que já tinha provado. Tenho de permitir que adoro pilas. Adoro todo o classe de pilas. A partir de que sejam compridas grossas. Não quero descobrir da cor. Chupei Pila mexicana devo expor que palato do sabor. É tão teso poderoso. Os mexicanos são tão machos poderosos. Adoro a cultura deles. Adoro as pilas deles. A pila mexicana é a melhor importação exportação do México. Há alguma coisa a manifestar sobre o Dick Irlandês. O black dick é continuamente supimpa. Há diferentes variedades de pila preta. A pila haitiana é mas defende maior do que a pila Afro-americana média. A pila jamaicana é varias vezes mas suave cortante do que a Pila haitiana. A pila africana que vem directamente de Feito é verdadeiramente enorme uma maravilha de se ver. Acredites ou não, é bastante paralelo à Pila Indo-europeia, como a pila da Escócia. A pila escocesa é suave na minha boca tão suave a descer. Se tivesse de julgar, diria que o agente Xavier era um Haitiano de sangue rubro.

Continuei a chupar-lhe a pila enorme não demorou bastante a transportar-se-se. o fez, foi espectacular. O classe entrou em erupção como um vulcão. Um vulcão Preto a disparar lava branca que era escorregadia pegajosa. Eu engoli tudo, chorando elevado como eu fiz. Fiz a minha magia porque tinha o agente Xavier a gritar o meu nome em três línguas. Tomei isso como um presságio de que este gostou da minha conduta. Este estava a sorrir de ouvido a ouvido por último o deixei ir. Sim, esta rapariga sabia mesmo como fazer uma pila. Lambi – o sem entornar uma superior pingo. Este elogiou-me pelas minhas habilidades.

O agente Xavier estava a olhar para mim como um lobo esfomeado a ver um cordeiro gordo albugíneo. Eu sorri, adorei aquele olhar na faceta dele. O olhar que me diz que eu ia ter a sêmen do século. Barranca-me abanei-lhe o rabo na faceta. Queria tanto senti-lo em mim que nem ao menos possui piada. O Xavier perguntou-me se já me tinham oferecido uma maçada. Eu diz-lhe que não era estranho ser desordenado daquela forma. Verdade seja dita, já fiz paixão pela porta das Traseiras várias vezes, porém nunca com um varão como este. Um preto elevado, sensual muito dotado. Queria bastante sentir como seria.

O agente Xavier sorriu, eu diz-lhe para aguardar um segundo, me preparava. Levantei-me fui à minha gaveta erótica. Tirei-lhe um pequeno tubo voltei para este a sorrir. Na mão segurei um pequeno flácono de lubrificante. Alguma coisa que continuamente guardei no meu quarto, naquelas noites quando me sentia emocionado com o meu electrodoméstico preposto. Hoje em dia, tive sorte. Tinha um varão de verdade pronto para me fornecer.

Livrei o agente Xavier, o flacon do lubrificante, confiando que este saberia o que fazer com este. Este olhou para mim sorriu, depois espremeu pérolas de líquido albugíneo do flacon de antemão de as impor na pila. Lambi os lábios em antecipação. Isto ia ser bom! Deitei-me de quatro abri as assento. Xavier veio detrás de mim, puxou a pila na mão de antemão de pressioná-la a minha porta de trás. Fiquei inquieto. Eu estava completamente em inferior para algo de ação anal suja, porém não uma queca anal seca! Xavier sorriu aplicou o lubrificante entre as minhas bochechas. Relaxei, depois preparei-me para o acontecimento principal. Vi o Xavier posicionar-se para entrar em mim. Este encostou a pila à minha porta das Traseiras empurrou.

Há uma coisa a expressar, ter uma pila enfiada entre as bochechas do rabo pelo rabo . Intensa seria uma termo de escolha para descrever a experiência. Outra termo seria conta. O Xavier agarrou-me as quadris empurrou-me para dentro. Arranquei os dentes este me entrou. Foi tão estranho tê-lo lá em inferior. A porta das Traseiras nunca foi feita para ser atravessada por um usurpador peniano. Conquanto, Sexo anal não era alguma coisa que eu estivesse prestes para fazer sem. Logo, empurrei o meu rabo de girata, a moer a pila do Xavier. Isto levou a sua extensa pila ainda mas para em mim. Senti-o a esticar o rabo. Doeu tanto. No início era tudo Dor, depois era dor outra coisa, alguma coisa bastante imitante com prazer. Queria mas implorei por mas.

O agente Xavier estava disposto a conceder-me mas. Enfiou a pila no meu rabo tal e como se não houvesse amanhã. Da forma que gênero me fodeu o rabo, terias pensado que o sexo anal estava prestes a permanecer fora tendência, ou ser renegado no dia seguinte. Senti qualquer impulso, qualquer gládio da sua Pila maravilhosamente comprida espessa este batia em mim, indo para o altura onde o sol não brilhava. Denunciei a minha ratazana este me fodeu, dei por mim molhada como uma poça. Expressar que dói, nem ao menos inicia a descrevê-lo. Foi bastante Celerado. Porém também me senti tão muito concomitantemente. Ter uma pila extensa a -me a -me lá em inferior foi bom. Eu estava enamorado pela pila preta no meu rabo se amar era inexacto Eu não queria estar correto. Logo que provei, precisei de mas.

O agente Xavier estava a -me no rabo tal e como se não houvesse amanhã. Este fez barulhos sensuais me fodia, diz que estava a reclamar o meu rabo em nome de homens negros por todo o lado. O Tanas…homens negros por todo o lado….uma teoria maravilhosamente perversa ocorreu na minha testa, porém nunca prosseguirei desenredar o que era, porque que comecei a ponderá-la, o meu corpo foi inopinadamente comovido por uma sensação poderosa esmagadora do interno. Eu tive sêmen, de ser fodido no rabo sozinho. Nunca tinha testado desta forma de antemão. Aparentemente, nem o Xavier gritou mas elevado do que eu alguma vez ouvi um varão gritar momentos depois, senti alguma coisa quente molhado a decorrer em mim. A pila dele esguichou-se em mim, cuspindo-a da sua semente maravilhosamente perversa. Uivei. Isto foi bastante bom!

Pequeno número de momentos depois, o Xavier eu estamos lado a lado no soalho do meu alcova da Faculdade. Estávamos os 2 a rir como um par de fedelhos. Isto foi bastante bom para uma sessão de Sexo a meio do dia. Este reajustou as calças, depois estava a caminho. Deitei-me no soalho, com as mãos na ratazana. Fechei os olhos apalpei-me, de repente, excitada por aquilo que tinha completado de fazer. Tinha tirado um varão da rua, levei-o para minha vivenda, prendi-o até o momento que problema conseguia permanecer de pé mandei-o embora. Sei o que pequeno número de de vocês devem meditar de mim. O que posso expressar? Sou uma aventureira sexual de primeira, palato de sobreviver perigosamente.

627 views

Contos relacionados

Aprendi A Dar Meu Cu Desde Novinha

Acordei com um enorme, steely hardon com uma boca macia e molhada na minha pila a enrolar a língua à volta da minha cabeça. Lábios doces e molhados gentilmente a subir e a descer, e uma mão com...

LER CONTO

0 - Comentário(s)

Este Conto ainda não recebeu comentários

Deixe seu comentário

2000 caracteres restantes

Responda: 2 + 1 = ?
© 2022 - Contos Eroticos